terça-feira, 12 de julho de 2016

Olhos sempre abertos

Cá em casa optámos por não as pôr na natação (apesar da Carlota quando era pequenina ainda ter andado 1 ano). As otites, a falta de paciência em levar e ter de estar com elas dentro de água e mais uma ou duas desculpas, fizeram com que não as tivéssemos posto. Uma parte egoísmo, outra por não querer passar os invernos com elas doentes, duas razões que achámos fortes, mas podemos querer rever.
As 3 adoram água (nem sempre foi assim, por isso mães que têm filhos que fogem de água, as coisas mudam de ano para ano),  por isso programas na piscina há todos os Verões. 
As braçadeiras andam sempre nos braços e só a Carlota que já sabe nadar pode estar sem elas. 
Porque o sempre é relativo, há alturas que deviam, mas não estão com as braçadeiras nos braços.
  Mãe quero ir fazer xixi, mãe vou para a toalha secar, mãe posso mudar de fato de banho, mãe tenho fome, são algumas das vezes que as braçadeiras "evaporam". 
Somos pais descontraídos e confio nas 3 na parte que sei que cada uma só faz as coisas que sabe que consegue fazer. Não são de se aventurar à doida, não  desobedecem quando sabem que há perigo e são as 3 (mesmo a Caetana) responsáveis qb.
Não ando sempre em cima no controlo, mas ao longe sabem que estão a ser controladas.

Mas, há sempre um mas... são crianças e com elas os imprevistos acontecem a toda a hora. 

A Caetana adora saltar para a piscina como as irmãs. É uma das diversões quando estão juntas. 
Desta vez a coisa correu mal e valeu o pai estar perto e eu estar a olhar (mas é tão fácil não estarmos sempre a olhar, é tão fácil ter o telemóvel na mão e estar a ver mil coisas nele, é tão fácil estar a olhar para o fato de banho da senhora "pintorolas" que acabou de chegar)...
A Caetana não se lembrou que estava sem braçadeiras  e saltou toda confiante para a piscina, mas não para a parte que tem pé, desta vez para a parte funda, onde em segundos desapareceu. 

Fiquei verde, fiquei em pânico mas valeu o meu grito "Hugo ela está sem braçadeiras!!! "...
Segundos que pareceram minutos e podiam ter acabado mal. 
Achamos sempre que há alguém a olhar...mas não há, nem tem de haver!

Correu bem, ela apanhou um susto mas logo de seguida o H conseguiu convencê-la a pôr as braçadeiras e ir outra vez à piscina de forma a não ficar com traumas ou deixar de gostar da água.
Percebeu o que aconteceu, percebeu que há coisas que não pode fazer sozinha...
...se vai durar não sei, mas aprendi que basta uma distração e as tragédias podem acontecer, mesmo debaixo dos nossos olhos!






Atenção que estes perigos da nossa distração (normal) acontecem em todo lado, a toda a hora e não só na piscina!
Não quis deixar de escrever, não para alarmar, mas apenas para se lembrarem (se bem que todos já sabemos disso)  que com crianças temos de ter os olhos sempre abertos.

Boas férias!


Cacomae no Instagram @anadominguezlemos

28 comentários:

  1. Ana, já viu as "cintas" de flutuadores que existem por aí para as criancas andarem mais à vontade e bem mais práticas para colocar e tirar?
    Aqui acho que não se vê tanto, é mais lá fora, mas a minha irmã usava isso e recomendo.

    Não passou de um susto, ainda bem.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aonde se pode comprar?

      Eliminar
    2. Olá boa noite. Já vi na decathlon. Bj

      Eliminar
    3. Comprei o cinto flutuador para o meu filho na Decathlon tem azul para menino e cor de rosa para menina. O meu filho não dispensa aquilo que lhes dá confiança e a nós pais tranquilidade.

      Eliminar
    4. Mas nao pode acontecer eles caírem e ficarem a flutuar de cabeça para baixo??

      Eliminar
    5. Não é suposto estarem sozinhos sem proteção

      Eliminar
    6. Dificilmente isso acontecerá. Anónimo das 18:15.
      Aquilo ainda os traz mais rapidamente à tona que braçadeiras.
      E se for bem colocado eles têm tendência a ficar em pé na água, quando relaxados, só com força e que ficam deitados e/ou a nadar.
      Beijinhos

      Eliminar
    7. São estas http://www.golfinho-sports.com/PT/product/Material-de-Aprendizagem/Cintos-e-Coletes

      A minha irmã já tem 15 anos, usava isso desde pequena.. não sei onde o meu pai comprou, nas provavelmente na decathlon como disseram deve ter.

      Eliminar
  2. Ana, aconteceu-me o mesmo com a minha Mais nova (3 Anos na altura) e apesar se andar na natacao, e especialmente desse entao, sempre que ha uma poça de aguda esta com as boias, sem desculpas para as tirar. Sao segundos! Fiquei dias a pensar que por acaso estava a olhar naquela direcao naquele segundo e o que podia ter acontecido se estivesse a fazer outra coisa qq. Tenho a certeza que fiquei muito mais traumatizada que ela!

    ResponderEliminar
  3. Distracções acontecem a toda a gente, serei a última a julgar, mas realmente no que toca às piscinas/ mar temos de ter sempre muito cuidado. É por isso que acho a natação fundamental. A minha mais velha vai começar este ano. Acho que a Ana também devia ponderar isso ;) De qualquer forma para já estão sempre as duas de braçadeiras quando estão perto da piscina e não entram sem eu ou o meu marido estarmos dentro de água. Protecção a mais? Talvez, mas nestes casos prefiro não arriscar.
    Felizmente foi só um susto e Caetana está bem! Embora numa situação completamente diferente, também já apanhei um grande susto por causa de uns segundos de distracção. São coisas que acontecem, mas não custa tentar previnir ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Ana, com a idade das tuas miúdas já as consegues por todas numa aula a mesma hora para facilitar a logística e vocês não têm de ir para dentro de água com elas. Quanto a estarem sempre doentes , aqui não acontecia isso com a natação ... O que eu noto que melhora a resistência as constipações , é fazer batidos de frutos vermelhos todo o ano logo de manhã (no inverno com água morna ) misturados com outra fruta. Há sempre frutos vermelhos congelados no lidl ou no pingo doce( desculpa a publicidade ) . Nós temos piscina em casa e já apanhamos sustos com os miúdos todos em pequenos . Saltar para a água sem braçadeiras também aconteceu aqui e valeu a minha filha mais velha que na altura, do alto dos seus 6 anos salvou o irmão chamando o pai a plenos pulmões. Eu estava mesmo ao lado e não me apercebi ... Considera a natação porque de facto é bom para eles , nem que seja uma vez por semana . Beijinhos , Sofia Costa

    ResponderEliminar
  5. Tenho piscina em casa e uma sobrinha, de 3 anos, doida por água. A regra das braçadeiras também se aplica, sabe que para ir para a piscina grande tem que ter braçadeiras. Por aqui adoptamos um sistema, há sempre alguem responsável por estar de olho na miuda, qd o responsável se ausenta, ou precisa de folga, nomeia outro. É facil distrairmo-nos quando está muita gente. A atenção nunca é demais. Ainda bem que não passou de um susto. Ah e a Caetana está super gira e deve estar a adorar estes dias de filha unica.
    Rute

    ResponderEliminar
  6. Também me aconteceu o mesmo com a minha M, tinha 2 anos e meio no Verão passado e tal como as suas C's é louca por saltos para dentro da piscina. Foi um susto e pêras... na altura a minha histeria deu - me para gritar com a miúda, ela nem percebeu, mas num só segundo consegui sentir o perder e o recuperar da minha vida. Ana, se perceber que cintas são essas que uma das comentados referiu partilhe connosco por favor. Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essas cintas há na Decathlon.

      Eliminar
  7. Tb me aconteceu o mesmo a semana passada.. um enorme susto sim... fez bem em partilhar. As braçadeiras não são muito práticas para os mais pequenos e as boias são enormes..

    ResponderEliminar
  8. Mais uma a quem aconteceu o mesmo mas há 20 anos com o meu filho mais novo, solução: ensinei-o a nadar e a boiar nesse Verão. O problema das braçadeiras é que perdem a noção do peso deles dentro de água. Ensine-a! Vai ver que, com essa idade e sem medo como ela não tem, é num instantinho.

    ResponderEliminar
  9. É sempre bom alertar porque realmente é muito fácil uma pessoa distrair-se. Já este fds apanhei um susto com o meu mais velho de 2,5 anos. Não foi relacionado com água mas com o começar a andar na praia sem rumo. Estava a brincar com a prima e vinham a correr detrás de nós, adultos que estávamos sentados num declive na areia. Eles rebolava pela rampa tipo croquetes. Até que o meu decide que já não quer brincar assim e foi buscar um camião com cordel e começa a puxa-lo pela areia fora. Foram segundos em que não olhámos (e ninguém estava com o tlm sequer) e ele andou uns metros. Fiquei para morrer e serviu de lição.

    ResponderEliminar
  10. Atenção que por vezes em crianças mais pequenas as braçadeiras podem mante-los à tona da água sim mas de barriga para baixo...mil olhos nos piolhos é sempre pouco...existem cursos (que não sei como se chamam) que ensinam às crianças tecnicas para conseguirem sair da água em caso de queda acidental ou no caso de se verem sem pé e treinam de fato de banho e vestidos (em que o peso do corpo é maior). Felizmente que não passou de um susto.

    ResponderEliminar
  11. Grande partilha! Li com atenção e vou reter cada palavra ! Obrigada !

    ResponderEliminar
  12. Meu Deus que susto. Connosco aconteceu algo semelhante. O meu filho mais novo também só anda na piscina com braçadeiras e até é uma menino responsável qb vá.. o verão passado após um longo dia de praia e piscina já de banho tomado e roupa lavada pediram para brincar no jardim... Fui com eles mas com os olhos no ipad.. O rapazola mais novo foi encher um balde na piscina e caiu lá para dentro. Não me apercebi... Valeu me os irmãos mais velhos que gritaram e alertaram. Serviu me de emenda... a culpa foi completamente minha.

    ResponderEliminar
  13. que susto...felizmente correu tudo bem.
    obrigada pela partilha.
    Nunca é demais lembrar...

    bjs

    ResponderEliminar
  14. Já passei pelo mesmo susto. E desde então, braçadeiras a tempo inteiro. São segundos!

    ResponderEliminar
  15. http://www.decathlon.pt/cinto-de-natacao-15-60-kg-rosa-id_8335580.html
    http://www.decathlon.pt/cinto-de-natacao-15-30kg-id_8356500.html

    ResponderEliminar
  16. Quais as braçadeiras que aconselham para uma criança de 2 anos e 9 meses, super traquina? (12 kgs)

    ResponderEliminar
  17. É realmente muito importante estar sempre atenta! Sempre!!
    Quanto à natação, acho que as histórias das otites são um mito, ou mesmo, uma desculpa, porque sim, é chato ir com eles à natação. Ainda que nestas idades já não terão de ir com elas para dentro de água. Desde que as crianças sejamm bem agasalhadas... A minha filha anda na natação e é desporto de onde só sairá quando souber nadar, (ou depois disso, sairá quando entender). Tem 5 anos, anda desde o 1º ano e nunca teve uma otite, pelo contrário, ajuda-a imenso nos problemas respiratórios que tem.
    Um beijinho e boas férias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem 5 anos, anda desde o 1º e ainda não sabe nadar? Pensei que o "processo" fosse mais rápido. Claro que depende de criança para criança, mas 4 anos...achei que fosse menos.

      Eliminar
    2. Não , até aos cinco anos só os ensinam a flutuar e a mergulhar e vir à tona de água , a não terem medo da água , a susterem a respiração , etc ... No fundo são jogos que os ambientam ao meio aquático e os fazem perder o medo e ganhar confiança, mas nadar, estilos mesmo , bruços , costas etc , só a partir dos 6 anos

      Eliminar
    3. Nesta fase não é bem natação, é "introdução ao meio aquático". Não aprendem a nadar, aprendem a gostar da água, a mergulhar e voltar acima, a perder o medo. A minha tem 4 anos e anda na natação desde os 18 meses. Otites 00, felizmente, adora mas honestamente acho que não é por aqui que o descanso vem, precisamente porque não tem medo nenhum de água. Por cá, usamos uma espécie de colete frontal, tem braçadeiras e um peitoral à frente, prende-se nas costas com uma fivela e ela não consegue tirar, em caso de queda obriga a cabeça a estar à tona.
      Que susto, nem imagino :(

      Eliminar