terça-feira, 28 de maio de 2013

Miúdos no radar...

Um tema que me toca e assusta cada vez mais, um tema que todos os pais têm medo e que tentam de todas as formas possíveis afastar do pensamento, o desaparecimento de crianças. Mas existe. Foi exactamente por ter sabido de um caso horrível e assustador em plena luz do dia, a semana passada e em pleno supermercado, numa das melhores zonas de Lisboa, a Lapa, que achei importante partilhar e nem esperar para o fazer. Eu própria quando fui contactada li e fiquei cheia de vontade de ter, porque cada vez mais casos reais existem e não tão longe de nós, infelizmente.
Este não será de todo um post cor de rosa, que faça rir  e muito menos fala de kits e toilettes. Fala sim de um novo sistema que está a ser vendido e desenvolvido em conjunto com a APCD (associação portuguesa de crianças desaparecidas) e que tem como objectivo podermos dar o alerta mais rápido e muitas vezes mais eficaz, no caso de uma criança desaparecida e de reduzir o inicio das buscas e da sua procura, por parte das autoridades. Como sei que é um dos grandes dramas e preocupações de todos nós pais, deixo-vos o texto que me enviaram com a descrição deste novo produto que poderá interessar também a vocês.
Um investimento que tenho a certeza muitos irão pensar e fazer.



"A  APCD – Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas – desenvolveu,
em parceria com a Contisystems, o “Miúdos no Radar” (MnR), uma novíssima aplicação
que permite aos responsáveis por uma criança (pais, professores, educadores, etc)
lançarem um alerta imediato para as autoridades em caso de desaparecimento da
mesma.
Todo o processo se desenrola através de uma aplicação para smartphone, disponível
para os sistemas operativos IOS e Android, que dará a possibilidade aos responsáveis
pelos menores de transmitirem quase instantaneamente uma descrição pormenorizada
da criança nesse mesmo alerta.
Após o lançamento do alerta, as forças policiais e a APCD terão automaticamente
capacidade de identificar a localização do smartphone, através das respetivas
coordenadas de GPS, e tomarão de imediato as medidas necessárias para tentar
solucionar o problema.

“Há muito que vínhamos trabalhando em conjunto com as autoridades competentes
para tentar reduzir ao máximo o tempo entre o momento em que a criança desaparece
e o início das buscas, por isso acreditamos muito no sucesso deste produto. Estamos
convictos que a rapidez na localização da criança irá aumentar substancialmente e que
as famílias portuguesas e os cidadãos estrangeiros que nos visitam, poderão a partir
de agora estar mais descansados relativamente à segurança dos seus filhos”, afirmou
Patrícia Cipriano, Presidente da APCD.



Sobre a APCD:
A Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas é uma IPSS que tem exercido de forma
muito activa, mas discreta, a sua acção no âmbito da protecção e apoio às famílias de crianças
portuguesas desaparecidas, e a crianças que, após serem localizadas carecem de apoio ao nível
psicológico.
A Associação foi fundada por vários pais de crianças desaparecidas que, com a colaboração de
técnicos nas mais diversas áreas do saber, pretendem trazer ao conhecimento dos cidadãos
várias regras que devem presidir á segurança infantil e bem assim, formas de actuação
adequadas em caso de desaparecimento de uma criança.
Por outro lado, a APCD acompanha no presente 88 casos de desaparecimento de crianças ao
nível jurídico, nomeadamente no que tange a situações reconhecidas internacionalmente como
raptos parentais.



Não é um tema agradável de lembrar, mas achei importante fazê-lo e mostrar um instrumento que pode facilitar e nos deixar a todos um bocadinho mais descansados. Não significa que não continuemos com 4 olhos alerta e nunca os deixar sozinhos, nem por um minuto. A ocasião faz o ladrão e infelizmente existem muitas pessoas más e muitos malucos que tentam levar crianças, para fazer com elas as mais horríveis maldades.

Um post que me deixou arrepiada ao escrever e que me deixa muitas vezes com vontade de deixar de escrever o blog, de deixar de mostrar as Cs...


Quem sabe este não será o melhor presente que podemos dar do dia da Criança.

Vejam Cacomae também no facebook AQUI

4 comentários:

  1. Forte...É uma dúvida que tenho, mostrar ou não os filhos no facebook? E para quem tem um blog, como é estar desse lado? Tive uma experiência profissional de alguma exposição pública (numa rádio de S. Miguel)que me trouxe uma situação muito desagradável (assustadora) e acho que fiquei com a mania da perseguição! Nessa altura ainda não era mãe. Já várias vezes me desafiaram para ter um blog (ligado à minha actividade) E a fragilidade da exposição é que me faz pensar. Isso e os odiosos profissionais que vão para os blogues destilar maldade.
    Um bjs Ana este é um tema muito importante.


    ResponderEliminar
  2. O que é que aconteceu em plena luz do dia, supermercado? Acho que toda a gente ficou com essa duvida. Alguem foi raptado? Espero que não, que tenha sido só um susto.
    Obrigada
    Daniela

    ResponderEliminar